Curitiba recebe especialistas de 21 países para discutir redução da mortalidade cardíaca prematura

SPC

Eles estarão reunidos no International Cardiology Meeting, que acontece entre os dias 8 e 10 de agosto, no Expo Unimed

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no Brasil. Em 2017, segundo o The Institute for Health Metrics and Evaluation (IHME), a doença cardíaca isquêmica (não engloba todas as causas cardiovasculares de morte) foi responsável por 24,5% das mortes, sendo também responsável pelo maior número de mortes não violentas entre a população com menos de 70 anos, quando é considerada prematura, correspondendo a 10,9% nessa parcela da população.

Diante dessa realidade, a união de esforços entre cardiologistas, demais profissionais da saúde e autoridades governamentais é fundamental para ajudar a reduzir a mortalidade prematura por doenças cardíacas. Entre os dias 8 e 10 de agosto, especialistas de 21 países se reunirão no International Cardiology Meeting 2019, que acontece em conjunto com o 46º Congresso Paranaense de Cardiologia, no Expo Unimed, em Curitiba.

“Esse é um congresso especial, teremos 150 palestrantes, sendo 32 de outros países, que vêm contribuir com conhecimento científico para o objetivo principal que temos de reduzir a mortalidade cardiovascular em nosso país. Queremos que todos aqueles profissionais que trabalham com o cuidado do paciente cardiológico, seja médico ou de outras áreas da saúde, como nutricionistas, educadores físicos, fisioterapeutas, enfermeiros, participem também do evento”, convida o cardiologista e presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia, Dr. João Vítola.

A sessão oficial de abertura acontecerá no Teatro Positivo, no dia 8, às 17h30, com o ministro da Saúde, Dr. Luiz Henrique Mandetta, que falará sobre os desafios no Brasil para a redução da mortalidade cardíaca, e a cientista americana Dra. Leslee Shaw, professora de Medicina na Universidade Cornell e uma das principais pesquisadoras do mundo em resultados de tratamentos cardiovasculares com foco em diagnóstico e tratamento de uma condição chamada cardiopatia isquêmica estável.

 

O evento ainda terá a presença do presidente eleito da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Dr. Marcelo Queiroga, autoridades e apresentações da Camerata Antiqua de Curitiba e Banda Lyra Curitibana.

 

Doenças cardiovasculares em Curitiba

Na capital que sedia o International Cardiology Meeting, as doenças cardiovasculares (que incluem as doenças cardíacas isquêmicas) também aparecem como principal causa de morte em todas as idades, representando 28,2% dos óbitos em 2016, de acordo com estudo Perfil da Mortalidade por Doença Cardiovascular na população de Curitiba: série histórica de 20 anos (1996 a 2016), da Secretaria Municipal da Saúde.

Dr. João Vítola analisa que, apesar dos desafios, Curitiba tem feito um progresso expressivo nessa área. Em um artigo científico que será publicado neste mês de agosto nos Estados Unidos (sob o título em inglês “Partnership for the goals to reduce CVD mortality: Rowing in the same direction”, em português: “Parcerias para as metas de redução da mortalidade por Doenças Cardiovasculares: Remando na mesma direção”), ele compara que nesses últimos 20 anos houve uma queda progressiva da mortalidade cardiovascular em Curitiba, de forma geral, principalmente da mortalidade prematura, que caiu cerca de 50%. “Curitiba já é um modelo para outras cidades quando pensamos mundialmente”. Mas, os desafios continuam, pois  24,2% das mortes dos curitibanos entre 30 e 69 anos de idade ainda são de causa cardiovascular.

Para ajudar a reduzir ainda mais a mortalidade, desde 2018 a cidade implementou o Programa Escute o seu Coração, que tem ações para a promoção, prevenção e cuidado das doenças cardíacas. “Nesse sentido, sediar esse evento científico contribui para o aprimoramento dos nossos profissionais e coloca Curitiba na vanguarda para a melhoria de ações que impactam na qualidade de vida das pessoas”, afirma Márcia Huçulak, secretária municipal de Saúde. “A parceria com a Sociedade Paranaense de Cardiologia tem sido muito importante para alinhar nossas propostas e ações para assertivamente atingir uma das metas da gestão, que é a redução ainda maior das mortes precoces por doenças cardiovasculares”, complementa.

Estratégias para reduzir a mortalidade

Durante os três dias do International Cardiology Meeting serão discutidas as mais variadas estratégias para prevenção, controle e redução de mortes pelas doenças cardíacas. Os desafios e casos clínicos de diversos países serão apresentados em palestras, além de terapias para redução do risco cardiovascular, inovações na cirurgia cardíaca, os principais estudos que impactam na prática atual da cardiologia, novos desafios e tratamentos de diferentes doenças, avanços da cardiologia intervencionista, cárdio-oncologia e outros temas. A programação completa está disponível no site www.icm2019.com.br.

 

O brasileiro radicado no Canadá, Dr. Tirone David, conhecido pela criação da técnica de David, cirurgia que trata aneurisma da válvula aórtica unida ao coração, preservando a válvula e trocando as paredes da aorta por um tubo artificial, falará sobre novidades a respeito de reparo de válvulas cardíacas (aorta, mitral e tricúspide). A estratificação de risco cardiovascular será discutida por palestrantes como Dr. Stephen Stowers, consultor em Cardiologia no MidCentral Health, da Nova Zelândia e Dra. Natallia N. Maroz-Vadalazhskaya, uma das principais pesquisadoras e clínicas da área da Cardiologia do Esporte na Bielorrússia, que falará sobre a morte súbita em atletas olímpicos. Novas terapias para diversas doenças também serão apresentadas, entre elas, as para cardiopatia reumática, pelo Dr. Ganesan Karthikeyan, professor de Cardiologia no Instituto de Ciências Médicas de All India e um dos maiores experts mundiais nessa patologia.

 

Os métodos de diagnóstico por imagem estarão em evidência em palestras do Dr. Felix Keng, consultor sênior do Departamento de Cardiologia do Centro Nacional do Coração de Singapura, e do canadense Dr. Rob Beanlands, atual presidente da Sociedade Americana de Cardiologia Nuclear (ASNC), que estará em um simpósio com a  Associação Argentina de Cardiologia Nuclear (AACN), o Grupo de Estudo de Cardiologia Nuclear da Sociedade Brasileira de Cardiologia (GECN/SBC), com o apoio da Agência Internacional de Energia Atômica. Nesse simpósio serão abordadas as aplicações dos exames para a redução da mortalidade precoce e o aumento da sobrevida, integração de teste ergométrico e imagem, quando utilizar o PET-CT e outros temas em discussões de casos clínicos, que ainda contarão com a presença da Dra. Diana Paez (Áustria), o Dr. Nathan Better (Austrália), a Dra. Leslee J. Shaw (Estados Unidos), o Dr. Prem Soman (Estados Unidos) e o Dr. Jorge Camilletti (Argentina), entre outros renomados especialistas.

 

A prevenção e tratamento dos principais fatores de risco para a doenças cardiovasculares são outra pauta do evento. Somente no caso do diabetes, por exemplo, a International Diabetes Federation estima que haverá um aumento de 62% casos na América Latina nas próximas três décadas. O Dr. Adel Allam, consultor médico do Banco Nacional do Egito (NBE), abordará em uma das palestras a experiência na prevenção em seu país, um dos que apresentam maiores taxas de diabetes no mundo. Já o Dr. Andrew Einstein, professor da Universidade de Columbia (EUA), discutirá a prevenção em casos de dislipidemia, assim como aplicações de técnicas nucleares na detecção dos problemas cardíacos.

Relações entre doenças cerebrovasculares e cardíacas

 

Uma das atividades paralelas do International Cardiology Meeting será o Simpósio Heart&Brain, que promoverá a troca de informações entre neurologistas e cardiologistas sobre tratamentos de doenças que atingem cérebro e coração. "É a primeira vez que esse trabalho internacional vai ser discutido no Brasil", explica a neurologista Viviane Zétola, uma das organizadora do Simpósio.

 

O Dr. Renato Lopes, da Duke University (EUA), especialista no conceito Heart & Brain, é um dos participantes do encontro. “Ele trará sua experiência no tratamento preventivo das ocorrências que atingem cérebro e coração e ainda representam números elevados de mortalidade em todo o mundo”, explica o diretor científico do evento, o cardiologista Dr. Rodrigo Cerci.

 

O simpósio é voltado para cardiologistas, neurologistas e demais especialistas interessados no assunto. Para participar, as inscrições podem ser feitas separadamente do congresso.

 

Inscrições

 

O International Cardiology Meeting/46º Congresso Paranaense de Cardiologia ainda terá simpósios internacionais do Departamento de Ergometria, Exercício e Reabilitação Cardiovascular (DERC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e Grupo de Estudo da Associação Argentina de Cardiologia Nuclear (AACN), e sessões voltadas para outros profissionais da área da saúde.

 

As inscrições podem ser feitas no site www.icm2019.com.br. O evento ocorre das 8h30 às 19h30 na quinta-feira (08/08), das 8h às 19h na sexta-feira (09/08) e das 8h às 12h30 no sábado (10/08). O Expo Unimed Curitiba fica na Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 – Campo Comprido.

SERVIÇO
International Cardiology Meeting /46º Congresso Paranaense de Cardiologia

Data: 8 a 10 de agosto
Horário:  8h30 às 19h30 (08/08), 8h às 19h (09/08) e 8h às 12h30 (10/08)
Local: Expo Unimed Curitiba -  Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Inscrições e programação completa no site www.icm2019.com.br

Sessão oficial de abertura do International Cardiology Meeting/46º Congresso Paranaense de Cardiologia
Data: 8 de agosto
Horário: 17h30
Local: Teatro Positivo - Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido (ao lado do Expo Unimed)

Assine nosso Newsletter

E receba mensalmente novidades e atualizações sobre a SPC.